Arraial do Pavulagem faz show de lançamento de ‘Céu da Camboinha’, novo disco da banda

Foto: Daísa Passos

Foto: Daísa Passos

Sete anos separam o último disco produzido pelo Arraial do Pavulagem de ‘Céu da Camboinha’, novo trabalho do grupo que será lançado no próximo dia 1º de março, na Praça do Povo, no Centur. Espaço de tempo raro para os padrões da indústria fonográfica e que não significa uma pausa na constante produção da banda. As músicas já estavam todas ali. Experimentadas uma a uma com o público. Faltava o momento certo, o ponto de equilíbrio entre a agenda de shows, os tradicionais Arrastões do Pavulagem e o instante exato para o mergulho no processo de gravação.

Com patrocínio do Bando da Amazônia, os músicos entraram em estúdio em maio de 2012. Os anos de estrada e o longo período de convivência entre os integrantes demarcam e definem o resultado do disco. “Foi um tempo que serviu pra gente estudar, pesquisar, se reciclar. Estamos também muito mais sintonizados, só de olhar um pro outro a gente sabe o que é”, comenta o guitarrista Marcelo Fernandes, de 41 anos, 19 só de Arraial do Pavulagem.

Nas 12 faixas, o amadurecimento de uma pesquisa musical que passeia pelas linguagens da Região Amazônia. “A banda deu um salto qualitativo com esse trabalho. Acho que todo mundo cresceu muito, há uma sincronia em todas as instâncias de gravação de um disco. Isso tudo foi feito com muito cuidado. Foi um mergulho profundo e consciente”, diz Ronaldo Silva. Ele assina ao lado de Júnior Soares todas as composições do CD. Parceria antiga, que vem desde o começo da banda, no final da década de 80. “Eu geralmente faço a letra e o Junior faz a melodia”. A exceção é ‘Cajá’, música feita com Allan Carvalho, do grupo Quaderna.

‘Céu da Camboinha’ dá título não só ao oitavo disco do grupo. Terceira faixa,  é a canção quase que de abertura do trabalho. Apresenta Algodoal, um lugar de muito simbolismo para os músicos. ‘Nós temos uma ligação muito forte com ele, que nos inspirou muito e nos inspira até hoje. Conheci Algodoal há muito anos. Já fizemos muita música lá, passando por lá. É de uma beleza fantástica, de uma atmosfera de tranquilidade. É um santuário”, resume Ronaldo. O céu que transporta o ouvinte para as andanças do grupo pelo interior do estado. “Que dá essa amplidão que a região tem, da diversidade de ritmos que temos aqui”, justifica Silva.

No painel sonoro do Arraial do Pavulagem, retumbão, quadrilha, merengue, carimbó, xote. Toada de boi-bumbá. A imensidão da rua. Urbana, moderna, tradicional, cabocla, ribeirinha. “Sempre foi uma meta nossa. Acho que a rua tá mais presente nesse disco. Essa sonoridade que vem da rua, do contexto dos arrastões dentro de um CD. Fazer essa simbiose foi o mais interessante, diferente”, acredita o percussionista Edgar Chagas, 35 anos de idade, 17 de Arraial. “Esse tempo [de ausência sem lançar] foi complicado. Todo disco é um documento, é uma forma de se perpetuar enquanto banda. As pessoas cobram, os fãs pedem e a gente nunca tem. Esse disco é uma forma das pessoas terem o Pavulagem em casa e mostrar pros outros também”, avalia.

PELA PRIMEIRA VEZ

‘Céu da Camboinha’ também carrega outros significados. Para Franklin Furtado, de 35 anos, percussionista do Pavulagem desde 2005, tem o toque da estreia. É o primeiro disco da banda que ele participa. Fonte de experiência e aprendizado. “Pra gravar fui ouvir com mais atenção os outros discos. Foi um processo de muita troca, do conhecimento que eu tenho dos ritmos da cultura popular e do conhecimento que eles têm. Esse é um trabalho mais amadurecido. Tem identidade própria, peculiar do Pavulagem. As pessoas vão escutar e saber que é do Arraial”.

Gravado, mixado e masterizado no estúdio Midas Amazon Estúdio, em Belém, o disco tem participação especial da cantora e instrumentista Luê, com a rabeca na canção ‘Realeza do Guamá’, de Luiz Pardal rabeca que se ouve em ‘Retumbão do Caeté’ e ‘Barca da Lua’. Johab Quadros e Jó Ribeiro nos trompetes. Esdras Souza no Sax. Junior Soares, além de tocar e cantar, assina ainda a produção executiva a direção musical. O CD traz ilustrações de Elton Galdino e projeto gráfico de Carol Abreu. O show de lançamento tem apoio da Cultura Rede de Comunicação e Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves.

Integrantes do Arraial do Pavulagem

Ronaldo Silva (voz)

Junior Soares (voz e violão)

Rafael Barros, Edgar Chagas e Franklin Furtado (percussão)

Rubens Stanislaw (baixo)

Marcelo Fernandes (guitarra)

Canções do disco

Barca da Lua

Mensageiro do Arari

Céu da Camboinha

Princesa do Marajó

Passarinho da Barreira

Cachoeira Prateada

Realeza do Guamá

Malena Mariá

Retumbão do Caeté

Cajá

Quadrilhão do Guajará

Mastro de São João

NÃO PERCA

Show de lançamento do disco ‘Céu da Camboinha’, da banda Arraial do Pavulagem. Dia 1º de março, na Praça do Povo, no Centur, às 20h. Ingressos: R$1 +1kg de alimento não perecível. O ingresso deve ser retirado na bilheteria do Teatro Margarida Schivasappa do Centur, no dia do show, a partir das 9h:

Acesse: arraialdopavulagem.org

Onde comprar: Lojas Ná Figueiredo

Preço: R$ 20,00

Assessoria de Imprensa Yorranna Oliveira

Contato – 8343-8918; 8425-9661

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 256 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: